sábado, 7 de outubro de 2017

Eu também sei rezar!

Era uma vez jovem em seu primeiro dia de aula na escola nova. Não conhecia ninguém, tudo era novidade. Ao entrar na escola, foi encaminhado a sua nova turma que se encontrava no pátio, à espera de que algumas formalidades diárias fossem cumpridas. Após os recados da direção, iniciou-se um momento de oração e depois algumas reflexões sobre alguns textos da bíblia.
Nosso jovem começou a se sentir estranho, era sexta-feira, vestia branco, olhava para aquela cena e não entendia muito bem o que se passava. Perguntou ao colega do lado o que era aquele momento e obteve como resposta: “Estamos orando, uai”. Ficou calado, observando tudo até que fosse dada a ordem para se encaminharem para a sala de aula.
Depois, em casa, em seu quarto, antes de fazer a lição, começou a refletir. Eu sei rezar, mas não é daquele jeito. Será que estou errado? porque se na escola é daquele jeito, então o meu jeito deve estar errado!
Fez a lição e chamou sua mãe para que conferisse se estava tudo certo. No meio da correção o jovem ainda inquieto perguntou!
-Mamãe, o jeito que a gente reza é errado? -Claro que não, filho, porque a pergunta? - Lá na escola eles fazem diferente! - Mesmo sendo diferente, meu pequeno, não existe certo ou errado, existe o que te faz bem e te torna uma pessoa boa, entendeu? - Entendi, sim, mas é estranho ser o único diferente. - Não se ache estranho, pense que você é especial e não se importe com o que os outros pensem! - Tudo bem, mãe. Obrigado!
Assim passou-se algumas semanas e a história se repetia. Porém, era mais uma sexta e de novo vestia branco. Já familiarizado com a escola e com os colegas, ele levantou a mão e perguntou a diretora.
- Quando será a minha vez de rezar? - Você pode rezar quando quiser. - Mas eu não sei desse jeito, na minha igreja a gente reza diferente! - Diferente como? - Tem uns tambores, e o pessoal dança. É muito bonito. - Deve ser mesmo, mas aqui na escola a gente reza assim, você vai ter que se acostumar. - Acostumado eu já estou, só queria passar para os meus colegas outras formas de rezar! - Não temos tempo para isso, e afinal de contas, oração não depende de religião, tudo chega para Deus da mesma maneira.
Nosso jovem voltou para o seu lugar e continuou prestando atenção, como fazia todos os dias. Novamente em casa, triste, nosso pequeno só conseguia pensar na cena que acontecerá na escola. Se lá é um local de ensino e aprendizagem, porquê ele não poderia ensinar para meus colegas como ele reza? Se todas as orações levam a Deus, porque eles sempre fazem a mesma? Adormeceu sem entender e provavelmente não vai entender por um bom tempo estas complicações de gente grande.

Pesquisar este blog

João Vitor Feranandes. Tecnologia do Blogger.

Seguidores